quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Normal

Um rapaz como muitos outros, mas talvez nem tanto. Esse formato plasticamente vigoroso do seu tórax, seus lábios opulentamente à mostra, cabelos dourados, não sei não. Há algo de estranhamente especial no jeito que anda, em como preenche as fichas de pedido, na maneira carinhosa com que olha para as estantes cheias, tomando os livros com um carinho que cheira a algo que já é fóssil no túmulo dos sortilégios dos homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário