sábado, 9 de janeiro de 2010

a poesia e o tempo - 3

carinha, afaga com a mão leve da navalha,
o tempo goiva sobre a tua mortalha. o toque é breve, contínuo se espaça,
e tua vida rota cambaleia, tropeça,
se espalha e se espoja nos talhos tantos, como o orvalho
ou o pranto. cai, ergue, vivaz, até o sereno talho
que a jaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário