domingo, 7 de março de 2010

TESTÍCULO

ou a pedra de seu sumo agrotoxicamente
lambidas a fio
saborosas sucatas de lixo
eu não sei como
explicar
sou eu, e talvez alguém mais
queira
dividir os méritos de minha personna
(non grata)
não crias tu em meras viagens, e alucinações
não te comovam.

não valem a pena, não merecem uma parte sequer
de sua rara atenção:
são tão-só meras gotículas de strass, simples
reflexos de cintilações
em branco e preto.

sobre elas, não se derramam as lágrimas
não se simula a noite
num parco pedado de brisa marinha.

não se brinca mais nesse pátio de teias de aranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário