sábado, 29 de maio de 2010

ÉPSILON

Uma concha que rola pela areia fofa da praia.
Toma a mesma entre as mãos brancas, e ouve o mar,
Os sons serenos escondidos nos caracóis e medusas.
Atendendo ao canto desta melodiosa sereia, agarra-se à sua cauda aquática
E mergulha fundo, aprofunda-se nas cataratas abissais do espelho d’água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário