terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Das histórias da vida:

Para começar a história
Da vida
É preciso mais que a chama
Da vela
Ou umas cinzas de cigarro
Do bêbado
Para começar a história
(Velha história)
Da vida
É preciso as cinzas
Do isqueiro
Ou quem sabe até a chama
Do bêbado.
Não.
Da vida,
Só é preciso
O cigarro.
A chama, as cinzas
E o bêba-
Do
São só histórias
Da vida.

(Essas, ela as conta
Para ninar as estrelas
Que preguiçosamente recolhem seu brilho
Para um novo dia que nasce).

A vida tem seus sortilégios...



(1989)



(Curiosidade: esse poema está escrito a mão no verso de um convite para uma palestra do João Amazonas, denominada “O surgimento do movimento operário e a situação atual”, a ser proferida no Sindicato dos Jornalistas, em São Paulo, no dia 25 de março, às 15 horas. Assinatura do convite: Comissão pela legalização do PC do Brasil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário