sábado, 8 de janeiro de 2011

Fragmento

De todas as utopias
Brandas ou inatingíveis
Eis a mais mirabolante
Extravagância:
Minha pequena pérola
Ornamentada de ouro
Diamantes da solidão
Só multiplicam
A intensidade do seu brilho
(Secretamente?) angustiado

E eis que o Ocaso se aproxima
Corro ao horizonte – ei-la
Desaparecendo por detrás do mar
Carregada pelas ondas
Pura ilusão
Pois sei que há de renascer
Durante a noite
Mergulhada, incrustada
Num teto de estrelas
(E, é claro, não sem o seu brilho branco
Alvo, fofo, brando
Leitoso, até.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário