domingo, 6 de fevereiro de 2011

Seu Onório

Era um bêbado muito respeitado
Pois andava de cajado
E chapéu à paisana
Perambulava pelas ruas da cidade
Vivia a vida de verdade
Sem se preocupar com “cana”
Até que um dia o amor apareceu
E aquele que nunca se rendeu
A mulata agarrou
E seu Onório – velho muito respeitado
Trocou o seu cajado
Pelo avental e pelo amor!

- Oh, seu Onório, não faça isso!
Por acaso perdeste o juízo?
Casamento é coisa de louco
Apanha-se muito e vive-se pouco!

E seu Onório, muito calmo, replicava:
- Por essa vida que eu levava (avacalhada!)
Prefiro o amor de minha amada!

Mas um dia o amor acabou
E aquele que Ele levou
Para as ruas voltou

E o pessoal gritava, feliz:
- Seu Onório não troca amor nenhum
Por um copo de 51!!!

(31.10.82)

Nenhum comentário:

Postar um comentário