sexta-feira, 18 de março de 2011

Poema inativo:

Flores murchas
Secas
Resplandecem sob o sol
Imponente
Passam num andar
Trôpegas
Sob o sol
Causticante
Cavalos de Camargue
Passeiam
Por entre as dunas
Encharcadas
Correndo como crianças
Velejam
Sob águas
Areadas
O Poema sem fim
Prossegue
Em sonetos
Desatinados
Desejo irregular
A todos
Os poemas inacabados

Nenhum comentário:

Postar um comentário