sexta-feira, 8 de julho de 2011

Desculpa se me prendi

Desculpa se me prendi
Na mancha do teu olhar
Tentarei levitar.


Desculpa se me arraiguei
Nas tuas vagas promessas.
Acordarei minha minhas pernas adormecidas nessas.


Desculpa ainda a minha tolice
Manifesta nos meus beijos ardentes.
Fá-los-ei menos “calientes”.


Desculpa as carícias que te entreguei
Nos momentos de ternura.
Desculpa a insistência da amargura.


Desculpa se me enraizei
Na chama que sequer me acendeu.
Desculpa por nunca teres sido meu.

(1984)

Nenhum comentário:

Postar um comentário