sábado, 2 de julho de 2011

Tropicus

(pour Paulo)

I

Kant, Schopenhauer, Marx.

Pandora abre sua caixa
Mil arapongas tupiniquins
Sobrevoam sua cabeça.

No fundo desta,
O martelo de Nietzsche.

II

Mentem os que arfirmam
Que somente é possível
Filosofar em alemão.

No fundo da garganta de
Cada araponga,
Bate o martelo de um
Nietzsche tropical.

(tradução de poemas visuais)

2 comentários:

  1. "desde o começo; desde a antiguidade estamos habituados a mentir
    Abraços!

    ResponderExcluir